Tempo virado

Tempo virado
Questões de Francesca

domingo, 31 de julho de 2011

A essência do efêmero (certamente esse será o nome de uma de minhas musicas)

Tive um dos finais de semana mais agradáveis desse ano...

Na sexta, depois de dormir na casa da Thais, passei o dia com ela, comendo, conversando, tomando sol na piscina dela, vendo filmes e por aí vai...

No sábado fui à praia com o Helio e de lá fomos ver um grupo de jazz de rua enquanto desfrutávamos de uma ótima degustação grátis de vinhos que estava tendo por toda ipanema... Depois de literalmente sermos expulsos de um desses locais, fomos para o Zelda Day, que estava bem sem graça e de lá eu fui para uma festa onde estava minha mãe e meu irmão, que não vi as férias inteiras.

No domingo (hoje), fui para a praia com a Thais e lá encontramos o Felipe Fraga. Não ficamos muito, pois fomos para um outro show de jazz, no parque Garota de Ipanema. Lá foi extremamento bom, um lugar extremamente agradável, com ótima música e gente muito animada. Curti pra caralho. Lá encontramos também o Helio e sua trupe. Demos uma volta pelo Arpoador, fomos comer pizza no Zona Sul e de lá voltei pra casa.

Também hoje fiquei com uma musica na cabeça que gravei e coloquei no myspace. Ficou do caralho.

E agora estou ouvindo The Adventures of Rain Dance Maggie, novo Single do RHCP..

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Coisas chatas, números e, é claro, música.

Provavelmente vou repetir uma matéria na faculdade. Pra quem nunca ficou de prova final no colégio, isso é novidade. Afinal, esse período de provas finais é extremamente chato porque me sinto mal em todos os minutos em que não estou estudando, mas não consigo estudar nem um minuto.

Parece que minha memória é limita. Minha capacidade de aprender também. Minha capacidade de se esforçar, então, é mínima. Combinação perigosa.

Estou pensando em desistir disso tudo, mas já pensei nisso tantas vezes. Abrir mão do domínio dos números para um futuro garantido e cair na arte para uma vida perigosamente arriscada. Não faz meu estilo.

Dizem que isso é ruim, mas nunca abri mão da arte. Mesmo fazendo um curso de grande complexidade matemática, leio mais do que muitos amigos meus que fazem cursos de humanas. Além disso, toco guitarra, deixo me levar pela música, escrevo, componho.

Não preciso abrir mão do que eu gosto para fazer aquilo que me dará dinheiro.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

100

Pequei ao não perceber,
que o maior erro é deixar de errar.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Rumo aos 100.

Não vou completar 100 posts hoje.

Sempre fui bom com a palavra. Uma forma de expressão racional e limpa. Fácil, rápida, embora, de quando em quando, arrastada.

Hoje, sinto minha essência mudando. Meus sentidos estão mais aguçados, deixo-me fluir um pouco mais. Liberto-me da prisão da mente e me levo aos confins da existência, na qual não existem nem ao menos palavras.

Por isso, tenho escrito tão pouco aqui.

Os sentidos são mais importantes do que sempre pensei. Há uma mudança de consciência da minha parte.


Quero, hoje em dia, pensar um pouco menos.

Non, je ne vais pas...

Non, je ne vais pas t'aimer.
Parce que j'avais encore de apprendre a m'aimer.
Mais, non, je ne vais pas apprendre, jamais.
Parce que l'amour que je sens pour le monde,

c'est supérieur que moi.