Tempo virado

Tempo virado
Questões de Francesca

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Pinturas em Copacabana

Faço com muita frequencia o trajeto botafogo-ipanema e vice-versa de ônibus, pois meus pais moram no humaitá e em ipanema.

Acontece que sempre passo por toda Copacabana, pegando geralmente muito trânsito e calor.

Mas tem dois momentos (um de ida, outro de volta) em que vale a pena passar por isso tudo.

Acontece que Copacabana tem muitas pinturas nas paredes. A maioria é pixação, mas tem um pouco de arte em alguns lugares.

Há duas pinturas que sempre me fazem sorrir ao passar por elas.

----------------------------------------------------------------------------------

Figueiredo Magalhães:
Essa é, no mínimo, engraçada. É um desenho simples de um rapaz com cara de porteiro e sem camisa em um tamanho anormalmente gigante, com um pé afundado na água lagoa Rodrigo de Freitas e outro entre os prédios. Ele fala: "Grande assim... Até a Ana vai me ver". Ao lado dele, tem um cachorro igualmente enorme.

É um desenho meio nonsense, mas muito tocante. O cara, de alguma maneira, ficou gigante junto com seu cachorro e a única coisa que ele deseja naquele moemento é que essa tal Ana o veja. Amor quase platônico.

----------------------------------------------------------------------------------

Barata Ribeiro:
Essa é mais nonsense ainda. É um cara (aparentemente drogado) com quatro braços apontados pra vários lados dizendo: "Na sua mente, és rei, mas na própria mente és escravo, é preciso renascer".

O que ele quer dizer com isso? Eu até entendo mais ou menos a primeira parte, mas por que seria preciso renascer? Sempre me faz refletir..

----------------------------------------------------------------------------------

...

----------------------------------------------------------------------------------

Outro dia estava indo para casa do Gabriel quando, passando por Laranjeiras, vi o mesmo rapaz com cara de porteiro, o cachorro e uma mulher (provavelmente a Ana)pintados em uma parede. Por algum motivo estranho, fiquei satisfeito, pois ele tinha conseguido afinal ser visto pela sua amada e agora eles estavam juntos e, aparentemente, felizes.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Um final de semana atípico

Vou postar agora, em três partes, o que foi meu final de semana que, de tão estranho que foi, deve ser reportado.

Na verdade, domingo foi completamente normal, mas, como faz parte do final de semana, deve ser incluído.

Espero que gostem.

Sexta-Feira

Olha que interessante, sexta-feira eu levei, pela primeira vez na vida, um bolo de uma garota. Tinhamos marcado de sair às 18h e deram 19h sem ela aparecer ou atender o celular. A solução foi só uma: me embebedar com meus amigos.

Fui então para a casa do Erik, a Maria se juntou a nós e lá tomamos vinho e uísque (eu fiquei só no vinho), com direito à velha tradição de porradaria com o Erik. Terminei com o lábio e o nariz sangrando.

Após toda essa diversão pensamos em ir para o empório, mas passando antes pelo baixo botafogo. No caminho, adivinha quem me liga? A garota que me deu um bolo, pedindo desculpas e dizendo que dormiu demais (não sei se acredito, mas ok) e blablabla. Muito talvez pelo efeito do álcool, fiz a cagada de dizer: "relaxa, eu não perdi nada". Essa foi genial. Até agora estou me martirizando por causa disso.

Lá chegando, encontramos duas amigas da thais e da bia que eu, pelo menos, não conhecia e ficamos bebendo juntos. Depois as duas mais um amigo gay que tinha chegado mais tarde foram pra casa de uma delas se arrumarem pra uma festa na Lapa. Acabamos acompanhando-os junto à Clara, que também tinha chegado mais tarde. Pela primeira vez vi um apartamento de uma jovem solteira, uma parada que misturava cozinha, sala e quarto em um só cômodo, algo muito interessante.

O Erik e a Clara foram se animando para ir à festa da Lapa, mas eu realmente estava desinteressado. Foi então que a Maria começou a passar mal (não vou falar de quê, mas dou a dica que não foi de bebida) e tive que levá-la para minha casa cuidar dela. Ficamos lá umas duas horas e (GRAÇAS A DEUS) ela não vomitou e até melhorou rapido, apesar de ficar falando coisas sem sentido e cambalear de um jeito extremamente perigoso.

Levei-a então para casa e ela fez questão de me mostrá-la pra mim. Depois de uma breve visita, voltei pra ipanema cansado e muito frustrado pela noite.

Sábado

Esse foi um dia dividido.

Acordei lá pras 11h e fiquei com vontade de ir à praia. Obviamente, não fui. Comi então um sanduíche e esperei o tempo passar até, às 13 e 30 eu pegar um ônibus e levar 1 hora até à casa do Gabriel.

Fiquei lá muito pouco tempo, pois fomos para o HardRock Cafe almoçar. Comi um delicioso macarrão com quijão apimentado, além de algumas doses de guaraná. Foi muito bom bater um papo com o Gabriel e com a irmã dele, são gente muito boa.

Fomos então, após uma típica enrolação familiar para a fila do show do Paramore. Houve uma breve confusão para achar a tal e encontramos até o Guilbert, daquele jeito dele de sempre. Depois de encontrar a maldita fila (que estava muito mal organizada), ficamos umas 4 horas esperando para entrar, a pior parte do final de semana.

Mas foi bom que, assim que entramos, o show já estava acontecendo, mas da banda de abertura, fake number, uma bandinha bem ruinzinha. Lá fui me alocando para chegar na grade e no meio, para ver bem de perto a Hayley, coisa que fiz com sucesso.

É bom agora deixar registrado meu amor pelo show do Paramore, porque FOI MUITO FODA!!! Um show que, até agora, só perdeu para o Green Day, mas num embate duro, porque foi bom demais. Provavelmente se eu não gostasse tanto de GD, esse teria sido muito melhor, porque vi a Hayley bem de perto. Mas também quase morri lá na frente, o pessoal era muito maluco, meu deus.

Depois de umas cinco músicas vendo a banda na minha frente, resolvi dar uma chegada para trás, pois não estava conseguindo respirar e meu corpo estava todo dolorido. Aproveitei uma parte acústica e fui beber uma (3) água. Depois que voltou a parte interessante (crushcrushcrush, the only exception, pressure, MISERY BUSINESS), fui um pouco mais pra frente de novo e aproveitei esses últimos momentos.

Peguei então um taxi de volta com o Gabriel e com a Luisa, nós três derretendo de suor e todos extremamente satisfeitos com o show. Sem dúvida, a melhor parte do final de semana.

Domingo

Esse foi a dia, como já tinha adiantado, da morgação total. Acordei tipo 10 e 30, por aí, e fiz um sanduíche. Assisti umas 5hrs de televisão, dormi mais uma hora, almocei, li um livro, dormi mais uma hora e fiz um sanduíche. Aí vim pra cá escrever tudo isso.

Agora devo ir ao cinema. Beijos, amo vocês.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Criancices e felicidade

Falta uma semana para o fim das minhas férias, isso é simplesmente triste.. Nem ao menos consegui meu estágio e provavelmente minha viagem pra américa do sul terá de ser adiada..

Além disso, fiz uma última viagem de férias pra itaipava com meus amigos, que foi realmente muito, mas muito divertida. Espero sinceramente que esse grupo de amigos que fiz ao longo dos anos de CSI não se desmanche nunca.

Está um calor do caralho.

Ah, acho que agora estou saindo com uma garota. O interessante é que ela não faz parte de nenhum grupo de amigos meus, o que descomplica bastante as coisas.

Acho que é isso. Não há mais comentários para se fazer.