Tempo virado

Tempo virado
Questões de Francesca

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Ano novo, vida velha

Nunca foi muito do meu pensamento essa ideia de renovação do ano novo. Para mim, a renovação é permanente e ininterrupta, não vai ser a passagem de um ano para outro no calendário que vai marcar isso de algum forma.

De qualquer maneira, continuo com a mesma vida, os mesmos problemas e nenhumas soluções. Aprofundo-me cada vez mais na música e esqueço cada vez mais do mundo.

Mas nada disso me impede de desejar um feliz 2013 a todos.

Felicidades e boas entradas (sempre achei essa expressão engraçada)

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Quando brigamos

A chuva cai de seus olhos nublados
Escorre por seu rosto bronzeado
Para lavar as curvas de seu corpo
Molhando frio sua alma e gozo

A tempestade do seu olhar me aflige
A tristeza de meu rosto a atinge
Linhas tortas saem em tempo exato
Escrevendo certo no lugar errado

O sofrimento em calor se espalha
Os gritos que se ouvem da sala
Te machuco tanto para assim dizer
'Só quero ficar bem com você'





sábado, 22 de dezembro de 2012

Lembro que...

... Nessa época você estava viajando, e eu ansioso pela sua volta.

De certa maneira, esse blog virou um pouco uma diário aberto relacionado a você. Não sei se isso é bom ou ruim, mas creio que não seja bom continuar pensando em você por tanto tempo depois do fim.

Minha utopia

Na minha utopia...

1- As pessoas não iam querer ser manequins.
2- Iriam enxergar as expressões culturais como arte, não só entretenimento.
3- Não teriam vergonha de seus corpos, nem repulsa pelo dos outros.
4- Iam procurar explorar sua capacidade criativa e intelectual ao máximo.
5- Não iriam enxergar a fama como um fim por si próprio.
6- Não iam ter medo de parecer desajustadas, pois as pessoas não as enxergariam dessa maneira.
7- Poderiam fazer o que quisessem como carreira, sem se preocupar com conforto financeiro.
8- Não haveria limites legais para o amor mútuo.
9- Sexo não seria algo para se esconder ou vangloriar.
10- Quaisquer sentimentos, bons ou ruins, não seriam nunca evitados ou reprimidos.

-------------------------------------------------------------------------

Pode ser uma produção cultural, pode ser algo natural, mas o amor existe e gira em volta de tudo e de todos.

"All is full of love" - Björk

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Vou beijando as memórias de seus beijos


É assim que eu faço com as lembranças que tenho de você.



segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Arte

Vamos tentar de novo. Às vezes uma definição menor possa acabar sendo a melhor.

'A arte é tudo aquilo que transcende o técnico. São as escolhas produtivas que a ciência não pode explicar, como uma cor ou um ritmo.'


Empirismo

Tendo a acreditar que o ser humano é puramente pulsões e paixões. Toda a razão de fato é subordinado a uma escolha ideológica originada de uma preferência irracional.

O ser humano não age de acordo com  a melhor escolha possível, mas apenas de acordo com um impulso que sente no momento, originado não se sabe da onde.

Não existem verdades, mas interpretações.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Sonhos

Sonhos são nossa maneira dos nossos sentimentos se comunicarem conosco. Misturados às memórias, eles tomam forma e ganham voz.

Precisamos aprender a escutá-los, não decifrá-los.

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Dúvida recorrente

Às vezes me pergunto se me apaixono para ter algo pelo que me apegar.

Muitas vezes me pergunto se me apego para ter algo pelo que escrever.

Sempre eu me pergunto se eu escrevo para poder me apaixonar.

Mais uma vez

Acabei de sonhar com você. Nos encontrávamos em um lugar comum e, deixando tudo para trás, nos beijamos. Você, em algum momento, disse que era louca por mim, para o óbvio deleite de meus ouvidos.

O engraçado era que em determinados momentos eu suspeitava que aquilo era um sonho, mas a constância e o longo período em se passava aquela situação me convencia do contrário. Acreditava fielmente que você tinha voltado pra mim.

Claro que era um sonho.

Hoje já não sou mais apaixonado por você. Tenho outra pessoa na minha, sou feliz. Mas isso não te impede de me atormentar, não te impede de invadir minha felicidade através dos meus sonhos.

Nada nesse mundo te impede de me impedir de te esquecer.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Possibly Naked

Há algo muito irritante na minha cabeça. Já há anos que tento descobrir de alguma maneira o que é a arte. Qual é a sua essência, qual é a sua condição de existência.

Já inclusive escrevi algumas tentativas de ensaios aqui e, ingênuo, achei ter feito um bom trabalho. Porém, não faz muito tempo, descobri outra fonte de arte, essa sim extremamente bela, e totalmente desconexa de qualquer pressuposto colocado antes por mim: a nudez.

Não me deixo enganar, há uma clara diferença entre a nudez erótica, essa feita exclusivamente para causar excitação sexual, e a nudez artística, pura.

A nudez artística é bela independentemente das curvas do modelo. A nudez transcende o corpo, já não é mais corpórea. Deixa de ser física para se tornar algo maior.

As pessoas se vestem por um ato de repressão. Nascem nuas e se vestem por se sentirem feias em seu próprio corpo. Colocam roupas por acharem que algo falta na nudez. Pois estão completamente enganadas. Algo sobra na nudez, algo que falta nas roupas.

Está aí todo o problema. Não faço a mínima ideia de onde vêm esse tipo de arte. Se ela é uma tradução dos sentimentos, quais seriam esses? O que está sendo transmitido, e como?

Esse é um tipo de arte extremamente subjetivo, frágil e, por muitos, questionável. Mas não para mim. Está mais do que óbvio que a nudez é bela por si só. Ela me passa um sentimento, uma sensação, seja ela qual for. Essa transmissão é justamente o que defino como arte.

----------------------------------------------------------------------------

Há dois sites que são excelentes exemplos do que é a nudez como arte.

O primeiro se chama The Nu Project, no qual um fotógrafo americano viajou por toda América a procura de modelos. Sua ideia é fazer o menor uso possível de photoshop. O site é www.thenuproject.com

O segundo, muito menor, não é nada mais do que um Tumblr de um brasileiro, chamado de Apartamento 302. Apesar da simplicidade de recursos (talvez inclusive por causa disso), as fotos são extremamente belas e com uma singularidade que talvez nem o The Nu Project consiga alcançar. O site é http://apartamento302.tumblr.com/





segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Talvez

Dói-me tanto quando você foge de nós dois.
Dói-me quando você não tenta entender.
Dói-me ao te ver abrindo mão da felicidade.
Dói-me não poder ser feliz com você.

Apesar de tudo, ainda a amo.

Amor é a esperança de mais tempo. É o agarrar-se ao improvável para poder se sustentar por mais um segundo que seja.

Espero porque te amo. Te amo porque espero.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Be the change you wish to see in the world

Diria que essa é a melhor frase que poderia ser dita para a nossa sociedade (ou pelo menos parte dela).

Muitas das pessoas que conheço partilham de um sonho de que podem mudar o mundo através de suas manifestações, protestos, etc...

Não percebem elas que a sociedade não vai mudar sendo cutucada por poucos. A revolução se dá através da própria população, à partir das pessoas que as compõe. Não devemos tentar mudar ou melhorar a cabeça de outros. Devemos sempre tentar melhorar nossas próprias.

Não podemos nunca cair na ilusão de que somos melhores ou mais inteligentes que os demais. Cada ser humano passou por um processo único em sua vida que o formou sua cabeça. Pouco vai adiantar tentarmos forçar uma mudança no seu pensamento.

Devemos gastar nossas energias tentando nos melhorar, não aos outros.

Devemos ser a mudança que desejamos ver no mundo.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Frustração

Nesse final de semana fui para o sítio de um primo meu e, depois de algum trabalho, conseguimos montar um estúdio caseiro para gravarmos algumas improvisações.

No começo da noite tudo fluiu perfeitamente. Fizemos muitas jams boas e gravamos algumas delas.

A coisa mudou, no entanto, quando meu primo foi dormir e eu tive o estúdio todo para mim

 No começo fiquei extremamente animado e, sem pestanejar, peguei um dos violões e comecei a tocar. Apesar das minhas expectativas, nada de bom saiu. Tentei pegar a guitarra e fazer um solo ou um riff em cima. Os resultados não saíram como esperado.

E assim se foi a noite. Toquei bateria, ukelele, teclado, nada saía de bom.

Por fim, desisti e fui dormir.

domingo, 23 de setembro de 2012

A mar

- Pois se há algo que posso afirmar, é que os portugueses se equivocaram totalmente ao considerarem o mar como masculino.

- Engraçado.

- Por quê?

- Porque se fosse o contrário, seria chamado de a mar.

- Mas é exatamente isso. Afinal, deve-se amar como as águas que vê à sua frente.

- E como seria?

- Profunda e Infinitamente.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Isabela, um ano depois

Hoje vou na festa de aniversário do meu avô e, fatalmente, pensei na Isabela. Explico: um ano atrás, estávamos nós dois indo para o mesmo evento, no mesmo lugar.

Faz um ano que estávamos no auge de nosso relacionamento, muito felizes um com o outro. As coisas pareciam estar dando certo, tudo estava caminhando para um aprofundamento de nosso relacionamento.

Não sei o que aconteceu, mas o que houve de fato foi um progressivo deterioramento do sentimentos que tínhamos. Não foi a rotina, não foram as brigas... mas talvez começasse a surgir uma incompatibilidade emergente das maneiras como enxergávamos a vida, aliada a problemas de idade que me frustravam extremamente.

Mas talvez fosse ainda algo mais profundo, algo que não seja possível compreender. Talvez um afastamento de nossas energias, uma assimetria em nossos sentimentos. Como não consigo ver uma causa externa relevante, sinto hoje que só pode ter sido algo por esses meios.

Com isso tudo dito, falta pouco para eu completar um ano sem namorar, o que para mim é de fato uma marco. Acho, hoje, que aprender a viver com si próprio é o primeiro passo para aprender a viver a dois. Sinto falta, claro, mas não posso deixar meus anseios determinarem minha vida.

É preciso equilíbrio.

domingo, 9 de setembro de 2012

Marasmo

Esse feriado serviu para mostrar o quão elevado é o ostracismo sob o qual estou soterrado.

Sinto-me como um navio à vela preso em uma eterna calmaria. Começo já a me enjoar de tal condição

Porém, haverá sempre o amor e a música para me distraírem. Hoje consegui combinar as duas coisas e, como efeito, tive um improvável dia em que me senti realmente ótimo.

Há, também, os meus amigos. E realmente apoio tudo que tenho sobre eles, que nem ao menos percebem. Estar rodeado de pessoas que gosto realmente me faz esquecer, mesmo que apenas por instantes, que estou desesperadamente entediado.

Se houvesse pelo menos tristeza na falta de movimento, estaria satisfeito, mas não há nada para se aproveitar. Sinto as areias do tempo escorregarem pela minha mão e não poder trazer nada delas comigo. Os dias passam e eu não cresço, não aprendo, quase não sinto.

Isso precisa acabar de algum jeito.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Eu sou imbecil

lálálálá

lálálálá


--------------------------------------------------

Hahahahahah, é, consegui duas oportunidades de estágio... e, no mesmo dia, me joguei com minha amiga no lixo.

Cadê a lógica?

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Transição

A vida é uma transição de momentos. Vagamos em ciclos à espera de fins e começos.

Quero desapegar do conceito de 'agora'. O agora não existe, ele acabou de passar.

Quero limpar minha mente do conceito de 'aqui'. O aqui acabou de se mover junto com a Terra, o Universo, etc...

Einstein já dizia: tempo é relativo. Espaço, por consequência, também o é.

Uma vez compreendido isso, toda nossa concepção do real está totalmente destruída. Passamos a ser somente sensasões, sentimentos e, portanto, energia.

Quem me dera me tornar puramente energia...

domingo, 12 de agosto de 2012

Símbolos mortos

O que são palavras? Sons que saem da minha boca e chegam a outra pessoa, fazendo-a entender o que eu quero expressar?

O que é a palavra escrita? Símbolos que são interpretados de tal maneira que remetam a sons que exprimem  um significado universal?

Qual é o significado de amor? Qual é o significado de raiva, frustração, tranquilidade ou mesmo alegria?

Os sentimentos são intangíveis, por isso insignificáveis (perdão pelo neologismo). E, uma vez que não há um significado "universal" para algo, não há como formar palavras que o exprimam.

Além disso, palavras nos remetem a uma memória. Sentimentos não são nunca lembrados perfeitamente. Também nunca sentimos a mesma coisa duas vezes, nem nunca duas pessoas sentirão exatamente o mesmo.

Palavras são inúteis para a comunicação do que transcende o físico.

Por isso digo que a tradução dos sentimentos não está nas palavras, nas nos gestos humanos. Está na arte, no sexo, está até em um olhar. Mas nunca escrito, muito menos dito.

A brancura é um estágio para a desintegração final

Estou lendo um livro do Valter Hugo Mãe chamado "máquina de fazer espanhóis", que fala quase que exclusivamente sobre a velhice. Estou tentando lê-lo aos poucos, mas admito que está difícil.

Não por estar lendo muito rápido, mas simplesmente por não o estar lendo.

Acontece que a velhice é algo que me aflige demais. Saber que um dia meu corpo e mente estarão em regressão é algo que me enlouquece cada vez mais. Chegar a um momento em que eu não poderei confiar na minha própria capacidade de pensar, realmente...

O pior é quando começo a divagar sobre a morte e num possível "desligamento geral". Não consigo imaginir o vazio, é frustrante e desesperador.

Enfim, vou continuar tentando ler.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Aquela palavra

Acho fácil ver sensualidade em quase tudo à minha volta. De fato, é isso que eu procuro no mundo, nas coisas.

O ser humano é naturalmente sexual. O sexo tem um conceito para nós. Foda-se a reprodução, foda-se o prazer. Fazemos sexo para explodir em energia, que segue em fluxo intenso durante o ato em si. Transar não é nada mais (como se fosse pouco) que um intercâmbio de energias de proporções astronômicas.

É possível ver isso em todos os lugares, mas há aqueles que não querem enxergar.

E de novo...

O problema é que, quando te encontrei, estava morto, e você me fez sentir vivo mais uma vez. E com seu breve sopro de vida, expulsou para longe meu conforto, minha acomodação e inércia.

Insegurança, incerteza, inquietude, todos esses sentimentos imbecis e adolescentes vieram mais uma vez à tona. E eu, do jeito dramático que sempre fui, adorei. Amei.

Quase tanto quanto amei você.

--------------------------------------------------------------------------

Não gosto da repetição. Acho cansativo, por vezes irritante. Mas acontece que me repito todo dia quando lembro de você, falo de você.

E de novo... aí está sua pessoa em meus pensamentos e, pela infinitésima vez, em meu blog. Legal.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Frase de efeito

"A criatividade é como pescar. Se você quiser um peixe pequeno, poderá achá-lo em águas rasas. Agora, se você quiser um peixe grande, terá que se aventurar em águas profundas." - David Lynch

Não costumo gostar de frases de efeito, mas essa aí é genial (como praticamente tudo do David Lynch).

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Que vizu

Uma coisa engraçada minha que eu tenho desde criança é que eu enxergo cores na voz das pessoas. Sempre tentei entender isso.

Hoje em dia eu tenho consciência de que sou uma pessoa extremamente visual. Quando estou tocando uma música, por exemplo, vejo na minha cabeça várias cores em formas indistintas se movimentando. Quando estou beijando alguém, é comum eu também ver cores, embora varie muito de acordo com a pessoa.

Acredito, hoje, que não as cores que vejo não são das vozes das pessoas, mas dos sentimentos que elas me passam.

Como já disse antes, tudo é fruto do sentimento.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Tudo é fruto do sentimento (parte 3)

Estou usando principalmente a música como exemplo de linguagens dos sentimentos, mas é preciso deixar claro que ela é apenas uma e a uso porque sou mais músico do que qualquer outra coisa. Qualquer tipo de arte, ou mesmo outras atividades banais podem ser utilizadas.

A questão é: o que quero dizer com linguagem do sentimento? Quero dizer, essencialmente, que, com nossas formas de expressão, quase no sentido literal da palavra, traduzimos nossos sentimentos para o campo exterior às nossas mentes (mundo físico).

Agora, levando em conta que nunca sentimos a mesma coisa duas vezes, diria que nossa tradução é fiel ao nossos sentimentos na mesma proporção da capacidade que utilizamos do cérebro. Porque aí já estamos dependendo da nossa memória emocional, que se mistura com nosso subconsciente, cheio de pequenos traumas e lembranças que interferem na nossa capacidade de extrair de fato o que queremos.

Tudo é fruto do sentimento (parte 2)

A música é uma das formas de linguagens do sentimento. Acredito que uma pessoa, tendo o conhecimento (ou intuição) musical apropriado, pode passar certas emoções básicas através de certas escalas, harmonias e melodias básicas que ele já conhece. Provavelmente será daí que ele começará a sua música. 

A questão é que o sentimento é algo muito mais complexo do que simplesmente "felicidade", "tristeza", "alegria", "desânimo", etc... Da mesma forma que nunca sentimos a mesma coisa duas vezes, nunca duas pessoas sentirão exatamente a mesma coisa (no mesmo momento ou em momentos diferentes, não importa). Por exemplo, um homem pode amar uma mulher e vice-versa, mas o nível e a própria forma do amor que sentem um pelo outro é totalmente diferente. 

É como tocar uma nota em dois instrumentos diferentes. Os timbres serão diferentes, muito por causa dos harmônicos de cada instrumento (mas não só por isso), mas poderemos reconhecer a nota e dizer que são iguais. Da mesma forma, podemos tocar, por exemplo, um lá numa guitarra em dado momento e, dois segundos depois, tocamos a mesma nota no mesmo instrumento. Ela nunca soará exatamente igual (a física comprova isso), apesar de ouvidos menos atentos poderem não perceber a diferença.

  

terça-feira, 17 de julho de 2012

Tudo é fruto do sentimento (parte 1)

Nossos sentimentos são nossa única conexão para um plano superior, um universo paralelo onde tudo é energia. Nos interligamos a essa energia através de tudo que sentimos: amor, ódio, desespero, alegria, etc...

Tais energias provocam reações psicológicas e pulsões imprevisíveis em nós mesmos. Nosso subconsciente é constantemente alterado por essas reações.

Transmitimos tais energias através da impressão de sentimentos, das interações humanas até as marcas de sentimentos nas mais variadas formas de arte.

O que eu procuro na minha música é traduzir meus sentimentos da forma mais literal e pura possível, buscando nos sons algo que corresponda ao que eu estou sentindo no momento/período.

Para mim, um sentimento nunca é estático, por isso é sempre um grande desafio colocar algo do tipo em uma gravação. Por isso gosto tanto de improvisar com pessoas, porque assim posso exprimir da forma mais fiel possível tudo que sinto.

Enfim, é nisso que acredito.

domingo, 1 de julho de 2012

Sonho

Sonhei que você vinha para a casa da minha madrinha e nós nos beijávamos. Ontem havia grande chance de eu te encontrar, vi inclusive sua amiga.

Por que você me atormenta ainda? Achei que já tivesse te esquecido.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Foco

Estou sem.

Divido meu tempo com interesses irreconciliáveis. Falta concentração, falta dedicação. Preciso fazer uma escolha, o que significa abandonar uma opção. Não queria ter que fazer isso.

Estou estranho, não sei direito o que estou sentindo ou pensando. A névoa está de volta, e dessa vez não parece ter intenção de ir embora.

I just don't know what to do with myself

domingo, 20 de maio de 2012

Música, pra variar

Tenho estado há muito tempo numa fase musical. Há tanto tempo que já nem sei se isso é fase ou já uma característica minha.

Estou em uma explosão criativa permanente, que já dura um ano e meio e me fez compôr cerca de trinta músicas totalmente distintas, indo do samba à música eletrônica, passando pelo funk rock, experimental, noise rock, por aí vai.

Claro que tive que pagar um preço por isso. Hoje estou totalmente sem foco na minha vida acadêmica, penando para passar, além do que não estou mais com vontade de praticar nenhum esporte, nem escalada, que eu tanto gostava. Pra finalizar com chave de ouro, estou extremamente preguiçoso em relação ao universo feminino, me fazendo estar hoje saindo apenas com uma garota.

Até o final de Julho pretendo gravar tudo que eu já fiz e divulgar ao máximo. Vamos ver se toda essa obsessão vai dar frutos.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Há quanto tempo

Eu não digo que estou apaixonado.

Há quanto tempo eu não digo que as roupas foram o pior tipo de dominação sobre o verdadeiro brasileiro.

Há quanto tempo eu não digo que a vida é feita para ser vivida sem receios.

Há quanto tempo eu não digo que estamos aqui para esquecer que estamos.

Talvez eu tenha algum sangue indígena em mim, pois sempre que os vejo (mesmo que naquele versão romantizada), eu sinto uma nostalgia estranha.

É realmente muito prepotente dizer isso tudo. Mas não sei o que posso fazer, é o que eu sinto. Não tenho vontade de convencer ninguém.

Sei apenas que esse sentimento é maravilhoso.

E sim

Eu continuo apaixonado por você.

Pausas e retrocessos

É

Voltei.

Às vezes me sinto prepotente escrevendo desse jeito.. Ainda mais do jeito que estou. Mas a questão é que queria elucidar uma coisa.

A mudança, a revolução, os paradigmas trocados, tudo isso tem que se passar por nós antes de passar pelos outros.
Tentar mudar o mundo sem tentar mudar a nós mesmos é uma redundância esquizofrênica. O mundo muda a partir de nós mesmos, não o contrário.

Beijos a todos, pois eu estou de volta. E sugiro que descubram o que é a liberdade e o amor indo à praia de Abricó.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Randômico

Estava voltando agora pouco para casa de bicicleta, que estava com um pneu furado. Estava chovendo e, quando fui frear uma certa vez, a derrapou tudo e eu caí no chão molhado.

Foi algo que exemplificou bem o que está passado por dentro de mim. Está tudo meio ruim, meio quebrado. O mundo está derrapando e eu estou com o pneu furado. Falta só eu cair.

Não estou conseguindo estabelecer contato. É difícil olhar nos olhos das pessoas. É complicado conversar sobre algo além de mim mesmo. Estou passando por tamanha confusão interna que não consigo me concentrar em qualquer outra coisa. Minha mente está focada em entender o que se passa por ela mesma.

Do lado de fora está tudo muito vago, aéreo. Como se eu visse tudo de relance.

Do lado de dentro está complicado de ver qualquer forma, como se numa névoa durante a penumbra.

Meu medo, por enquanto, ainda é cair.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Para certas coisas Rede Social não serve

Acho que, se não fosse o sexo, eu seria totalmente autossuficiente com a música.

domingo, 18 de março de 2012

A verdade...

... é que estou apaixonado por você. E não dá mais para esconder isso de mim mesmo.

Não faz algum tempo, prometi que não ia mais confundir paixão e amor. Porém, sua liberdade me encantou de tal forma que talvez esqueça dessa promessa. Sinto em você um espírito extremamente livre, e isso me fez crescer rapidamente uma grande paixão e admiração pela sua pessoa.

Como já disse anteriormente, quero mergulhar em sua voz de mar, em suas palavras talvez me afogar. Quero dizer, mas sem admitir, que sua lembrança me faz sorrir.

O que  não daria para tê-la de novo em meus braços..

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Chatice

Pensei que não mais, porém, sim, você continua na minha cabeça.

Realmente não sei porque, já que não conversava contigo havia dois meses, quase.

Foi só retomar contato e cá está você de novo em meus pensamentos.

Tento esquecê-la de novo ou vou atrás de você?

(só sei que isso tudo é muito chato)

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Querendo ser estranho

Muitas vezes eu queria ser tão estranho como meus ídolos, podendo esquecer do mundo inteiro através da música. Ignorando a sociedade com o amor por algo tão lindo e maravilhoso.

Claro, não é o que eu consigo. Sou um ser tão social quanto qualquer pessoa normal e, apesar de amar profundamente a música, não consigo me sentir completo apenas com ela. Há horas em que não quero mais olhar para o violão e sim sair, beber, fazer qualquer coisa que me tire de casa.

Como seria bom poder ignorar as pessoas e me concentrar no que eu realmente gosto...

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Mais um final de semana

Só que diferente.

Fui na Lapa comemorar o aniversário de uma amiga.No começo, achei uma merda, pois pelo menos 20 gays chegaram em mim, mas compensei esse fato, pelo menos

No dia seguinte, fomos jogar cartas e saímos para beber em seguida.

Foi um final de semana cansativo, mas diferente, pelo menos. Não fiquei em casa tocando guitarra, criando músicas e pensando sobre a vida. Nem apenas saí para beber com amigos, terminando a noite bêbado e, novamente, pensativo.

Eu, de fato, me diverti muito.

Mas claro, agora estou devendo dinheiro pra três pessoas diferentes, mas isso faz parte.

(desculpem pelo post inútil e totalmente nebuloso, faz parte da minha vibe de agora)

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

John Frusciante

Your pussy is glued to a building on fire

domingo, 22 de janeiro de 2012

A essência

Por que eu procuro tanto pela paixão das pessoas? Simples. Porque só assim poderei as conhecer para sempre, sem medo de me enganar. Alguém apaixonado é como um livro aberto escrito em negrito.

 Tão fácil de ler quanto um bestseller

Você, sem dúvida, foi diferente. Não consegui nem que se apaixonasse por mim, nem que eu a entendesse.

É isso que ainda me prende a você, percebe?

Isso, e seu entendimento da minha pessoa em nossas primeiras conversas. Você sabe do que eu estou falando.

Muito obrigado. Por tudo

sábado, 21 de janeiro de 2012

Verdadeira ilusão

Juro que por muito tempo acreditei que tivesse achado alguém que pudesse me entender. Não sei o que aconteceu, mas parece que não aconteceu.

Não importa agora. Acho que me enganei.

Mais uma vez.

sábado, 14 de janeiro de 2012

Perdendo minha religião

Sempre tive uma certa noção do que eu acredito, mas nunca expliquei para ninguém, nem pela fala, nem pela escrita, por isso vou fazer uma tentativa aqui.

Grande parte das pessoas que conheço não acredita em Deus, mas numa inteligência universal, um tipo de energia cósmica (o que, para mim, se resume a uma grande divindade). A diferença disso para o que eu acredito é que, para mim, não há apenas uma, mas infinitas energias que rondam pelo mundo, criando um grande sistema que tende ao equilíbrio.

Além disso, creio que essas energias são geradas por todas as interações de um corpo com o seu meio. Não consigo pensar direito em um exemplo além do banal 'tocar uma música'. As interações podem ser milhares, porém, indo de um canto de um pássaro a uma briga de casal.

Tudo isso gera um sistema de energia inconsciente de si que influencia toda nossa vida, levando ela a um equilíbrio. Dessa maneira, creio, nossas vidas nuncam são inteiramente felizes nem inteiramente miseráveis. Como o equilíbrio é apenas uma tendência, ainda há pessoas que, de tão desesperadas ou tristes, acabam se matando, como há também aquelas que simplesmente não sabem do que reclamar de suas vidas.

-----------------------------------------------------------

Resumindo, então, acredito em um grande sistema de energias inconsciente de si, gerado por todas as interações de corpos com seus meios, que influenciam em nossas vidas, tendendo-as ao equilíbrio.

Não sei se consegui me explicar direito, afinal, é a primeira vez que tento, mas vamos ver, né, vocês que vão me dizer.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Mais reflexões

Tenho consciência de que sou uma pessoa passional, às vezes até demais. Pergunto-me muitas vezes até onde pode me levar esse impulso de paixão instantâneo, que já me fez tão bem e tão mal.

Fico imaginando quais são os limites desse sentimento tão viciante.

Tento levar um pouco dessa coisa dentro de mim pra música, pras letras, pra qualquer coisa que canalize a paixão. De quando em quando até consigo, mas ainda sempre me falta algo, sinto sempre minha música carregada, mas sem muita direção.

Preciso, na verdade, é sair. Sair de tudo.

Quero destruir esse eu que construí e me recriar. Quero queimar tudo que tenho e comprar tudo novo. Quero cortar todos meus laços afetivos e fazer novos. Arrancar as minhas raízes e plantá-las em outro local, em outro eu.

Só assim, creio, vou me aquietar.

O nascer de seu Sol

Contemplo contigo a beleza da incerteza
Quando o risco é um recurso me abasteço de tormenta
Sei que é a viagem, e não o destino, a recompensa

Em um universo paralelo, onde o sol é seu sorriso
velejo junto a ti em águas turbulentas e escuras
deixando-me cair tranquilo no multiverso colorido

Perdoe-me se às vezes quero deitar em seus lábios
Que como pétalas se abrem ao sol nascente
Sonho vestido com seu cheiro de calor extasiado

E depois de um dia quente sobre o arpoador
Fumando os ventos que sopram a sudoeste
Destilamos da noite, enfim, nosso profundo amor

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Estou com febre

(já adianto aos nenhuns leitores desse blog que esse será um longo post)

Acordei hoje muito mal. Estou com dor de ouvido, dor de garganta, febre e muito mal estar. E é justamente agora que me veio a cabeça a ideia de fazer uma retrospectiva de 2011.

Eu poderia fazer isso no facebook, claro, mas acabaria não sendo um texto totalmente verdadeiro, pois há pessoas conhecidas e envolvidas demais com meu ano lá. Por isso, hei de escrever aqui.

Depois de um 2010 turbulento e um tanto quanto triste para mim, comecei 2011 cauteloso e desanimado. Fiz algumas (grandes) besteiras no início do ano, mas aos poucos fui vendo que os problemas viriam a terminar em pouco tempo e novas coisas boas acabaria por acontecer.

Cheguei no primeiro período da faculdade de cabelo e barba grandes, ainda usando óculos e aparelho. Pouco tempo depois formei um grupo de grandes amigos que estão próximos a mim até hoje. Comecei também uma banda que muito me agradava e fiquei saindo com duas garotas por um tempo. As coisas rapidamente melhoraram a partir daí.

Perto do meu aniversário, aposentei meus óculos e comecei a usar lente, além de, pouco depois, também tirar o aparelho. Pouco antes disso tudo, cortei o cabelo e fiz minha barba. Parei de abusar de tudo e comecei a me concentrar na música, que tinha voltado para minha vida no início do ano. Creio que fora graças a isso que 2011 acabou sendo tão bom.

Muito bem, passa o primeiro semestre e começo a tropeçar. Acabei por me desapontar seriamente com minha faculdade e minha ilusão de que eu não precisava me esforçar para passar caiu por terra. Em meados de junho, julho, começo a sair com uma garota que viria a ser minha namorada. Tivemos um ótimo tempo juntos, até que...

eu a traio.

Ela não teve nada a ver com isso, nosso namoro estava indo bem, porém, conheci uma garota com a qual criei um profunda relação de sintonia e conexão. Foi algo completamente inesperado e surpreendente. Parecíamos termos nos dado tão bem, tão perfeitamente bem, que, em determinado momento, eu não consegui resistir e agi.

Depois disso muitos disseram para não contar à minha namorada o que tinha acontecido, mas não consegui. Tampouco consegui terminar com ela, meu maior erro. Demos sobrevida de uma ou duas semanas ao nosso namoro, mas eu não consegui aguentar. Estava tudo parecendo muito errado, muito triste para continuar. Pouco depois, descubro que ela também já não gostava de mim e atuou durante esse tempo por que motivos eu ainda não sei.

Continuei a sair com essa outra garota, pela qual ainda sinto algo, sim, mas não sei direito o quê. É um pouco diferente de qualquer outra coisa que senti antes. Ela é uma garota linda, espontânea e um tanto quanto poética. Tudo que eu sempre apreciei.

Enfim, o ano acabou com um ótimo começo e alguns tropeços no final, mas com um saldo, acredito eu, extremamente positivo. Minhas expectativas para 2012 ainda são indefinidas, mas creio que será um ano ainda mais musical do que o último. Também tentarei ser mais cuidadoso e menos impulsivo com os amores, que foram a origem da maior parte dos problemas de 2011.

Que venha então o futuro, porque eu espero por ele de braços abertos. E cabeça fervendo.