Tempo virado

Tempo virado
Questões de Francesca

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A volta dos estudantes

Não há arte maior do que um grupo reunido por uma causa em comum.
Os estudantes sempre fizeram parte da política no Brasil. Desde antes da metade do século passado, esse grupo já se organizava em manifestações a favor ou contra uma atitude ou proposta do governo. Mesmo durante a ditadura, repressiva e violenta, os jovens iam às ruas protestar e reinvindicar.
Não faz muito tempo que a UNE era a melhor representante dos estudantes. Ela gritou contra o governo militar, a favor das "diretas já", contra o Collor e a favor do impeachment do mesmo.
Não podemos, porém, mais contar com essa organização atualmente. A UNE hoje se mostra totalmente partidária, vendida e omissa em relação a todos os escândalos do governo vigente. Nem ao menos participou do movimento "Fora Sarney", criado e desenvolvido no meio estudantil.
O cúmulo, porém, deu-se há poucos dias, quando nenhum líder da organização mostrou-se realmente preocupado em relação ao ENEM. No início desse ano, sem diálogo algum com os estudantes e professores, o MEC decide criar uma prova para entrar no Ensino Superior, única para todo o Brasil, diferente do vestibular. Todos os colégios se prepararam às pressas para ensinar aos alunos como passar nesse novo exame.
Porém, às vésperas do final de semana no qual se realizaria a avaliação, o ENEM é adiado, em vista de seu roubo e tentativa de divulgação.
Como? Como um Ministério pôde ter sido tão desorganizado, tão irresponsável, a ponto de não conseguir guardar uma prova?
Esperando declarações da UNE, os estudantes se decepcionam ao ouvir as palavras "Muito grave, é necessária profunda apuração do roubo", vinda de um representante da organização.
Por isso, está sendo criado uma nova organização, a NOVE (Nova Organização Voluntária Estudantil), a fim de retomar os protestos e reinvidicações em relação a absurdos como esse.
A NOVE, apartidária, realizou nessa segunda-feira, um protesto no Centro do Rio de Janeiro, denunciando o grave desrespeito cometido pelo governo com os estudantes e professores de todo o Brasil nesse ano.
Esse é o marco da retomada do poder da voz estudantil. É a volta da união e participação consolidade de um grupo do qual os antigos representantes se venderam.
Viva à NOVE!

Um comentário:

  1. e so espero q essa nova organização faça efeito.Que a nova organização voluntaria Estudantil venha para favorecer os estudantes cada vez mais.

    ResponderExcluir